Descubra Quem Criou o Sapato Social

Publicidade

A criação do sapato ocorreu como uma consequência natural da necessidade do homem para proteger seus pés, especialmente do incômodo de andar sobre pedras e sujeiras, ou a possibilidade de pisar em algum animal. Por isso, descubra quem criou o sapato social!

Historicamente, pinturas encontradas em cavernas da Espanha e do sul da França, feitas há 10 mil anos antes de Cristo, mostram que, nessa época, o homem pré-histórico já fazia uso de espécies rudimentares de calçados feitos de madeira e palha, provavelmente o primeiro modelo de sapato social da história.

sapato social
sapato social (imagem google)

No Antigo Egito, os sapatos eram feitos de papiro, palha ou fibra de palmeira. Na época, ele era usado somente quando necessário, onde as pessoas os carregavam consigo por todos os lados. Inclusive, isso era um benefício apenas para os mais nobres, como os faraós, que usavam sapatos sociais adornados com ouro.

Publicidade

Nas civilizações grega e romana, o sapato social possuía um status de diferenciador social. Os gregos criaram diversos modelos, com calçados especializados para cada pé. Na Grécia, os escravos não possuíam nenhum tipo de calçado nos pés. 

Em Roma, os sapatos indicavam sua classe social: os cônsules usavam calçados brancos, enquanto os senadores usavam sapatos marrons, enquanto as legiões usavam botas de cano curto.

Como foi criado o sapato social?

A partir da Idade Média, homens e mulheres usam um tipo de sapatilha de couro. Curiosamente, em meados do seculo XVI, homens usavam saltos altos, o que era um simbolo de ostentação e riqueza.

Durante o século XVII, os sapatos manufaturados começaram a aparecer, especialmente no início da Revolução Industrial. Inclusive, não demorou muito para haver fábricas de calçados por toda a Europa.

Com o surgimento da máquina de costura, uma realidade que reduziu drasticamente os custos de produção, os calçados se tornaram bastante acessíveis para a população. Nesta época, os sapatos eram padronizados, bem similar aos que vemos atualmente.

Finalmente, no começo do século XX, com a troca do couro pela borracha e alguns materiais sintéticos, os sapatos sociais começaram a ganhar a forma e aparência que vemos hoje em dia.

RECOMENDADO PARA VOCÊ LER

6 Fatos Interessantes sobre o Gorila que Poucos Sabem

Entretanto, é da cultura islâmica que se origina o conceito de calçados como conhecemos atualmente. Isso porque, com a introdução da cultura árabe na idade média, especialmente na Europa, o uso de diferentes materiais começou a criar os mais variados tipos de calçados.

Na época, a colaboração do couro, o design e as costuras trabalhadas, deram origem a diferentes e inovadores tipos de sapatos, sendo que eles tinham como base a sapatilha integral com o fechamento das costuras pela parte de cima, sendo usado por homens e mulheres.

Como surgiram os sapatos modernos?

Como mencionamos, durante o século XVI, na corte de Luís XIV, os saltos eram produtos exclusivamente masculinos, sendo um símbolo de ostentação e riqueza. Para isso, os homens usavam saltos altíssimos. Na mesma época, o rei Luiz XV, devido a sua baixa estatura, encomendava sapatos de salto alto, sendo assim, para camuflar sua própria altura.

A padronização da numeração — como usamos atualmente — é de origem inglesa. Para isso, foi o rei Eduardo I quem uniformizou as medidas. A primeira referência da manufatura do sapato na Inglaterra é de 1642.

Na época, Thomas Pendleton forneceu mais de quatro mil pares de sapatos, além de 600 pares de botas para o exército. Por isso, as campanhas militares da época iniciaram uma demanda substancial por botas e sapatos sociais.

Posteriormente, os sapatos como conhecemos hoje começaram a aparecer, durante o século XVII, no início da Revolução Industrial. Em meados do século XIX, foram criadas as máquinas para auxiliar na confecção dos calçados, mas, somente com a máquina de costurar que o sapato passou a ser mais acessível.

A partir da quarta década do século XX, por volta de 1940, grandes mudanças começaram a acontecer na indústria calçadista, como a troca do couro pela borracha, além do uso de materiais sintéticos, especialmente nos calçados femininos e infantis.

Hoje, algumas marcas de sapato social se constituem em símbolo de status social, então, isso nos remete às eras egípcia, grega e romana.

Por fim, os sapatos sociais sempre estão se reinventando, mostrando uma nova faceta a cada dia. Portanto, os sapatos sempre serão um símbolo de ostentação, não importa quanto tempo passe!

Publicidade

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *